Ferry-boat : associações pedem audiência pública para debater sucateamento do sistema

Após séries de reportagens nos principais veículos de comunicação da Bahia e queixas da população quanto a qualidade dos serviços prestados pelo sistema ferry-boat, o presidente da Associação de Mobilidade Urbana, Afonso Rocha, acompanhado do presidente da Associação de Deficientes Físicos de Bom Despacho, Cledson Cruz estiveram na manhã desta terça-feira (18), na Assembleia Legislativa da Bahia – AL-BA para buscar junto à comissão de Infraestrutura a marcação de “Audiência Pública” para debater o sucateamento do sistema de transporte por parte do Governo da Bahia.

 

Os presidentes das associações foram recebidos por membros da comissão de Infraestrutura que imediatamente tentou contato com o secretário de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti na tentativa de saber quais investimentos estão sendo feitos pelo Governo da Bahia para melhorar o sistema ferry-boat e o cumprimento do contrato por parte da empresa administradora do sistema. “A comissão de Infraestrutura fica muito contente em receber representantes da população para discutir esse importante meio de transporte. Infelizmente o ferry-boat apenas é lembrado nos períodos festivos, por causa, das grandes filas de carros e pedestres. Vamos sim, marcar o mais breve essa audiência pública para escutar as demandas da população, pedir explicações do governo e apresentar propostas de melhorias”, disse o presidente da comissão, o deputado demista Pedro Tavares.

 

Os deputados Niltinho (PP-BA) e Zé Cocá, também membros da comissão reafirmaram a importância da audiência pública após os presidentes da associação de Deficientes Físicos e Mobilidade Urbana, Cledson Cruz e Afonso Rocha denunciarem a redução do número de embarcações. “Antes tínhamos cerca de nove embarcações, agora temos cinco. Quando uma embarcação vai para manutenção as outras quatro não conseguem suprir de forma satisfatória as necessidades dos moradores das ilhas, tão pouco os turistas que veem conhecer nossas belezas naturais e culturais”, afirma Afonso Rocha. Já Cledson Cruz confirma que neste período junino a ilha está praticamente deserta porque o transporte é ruim, e os investimentos são poucos para atrair e fidelizar os turistas. “Estamos deixando de faturar, pois ninguém quer passar quase duas horas dentro de uma embarcação sem conforto e esperar mais de três horas para embarcar. É preciso investir e com urgência”, ressalta.

Outra denúncia feita pelo presidente da Mobilidade Urbana, Afonso Celso é que uma gavetas de cargas construídas pelo governo do Estado têm defeitos de sustentação e caso seja entregue pelo governador Rui Costa pode causar acidente com vítimas fatais. “Uma das gavetas que o governador quer entregar não sustenta veículos pesados e pode cair matando pessoas”, denuncia.

A deputada estadual Maria Del Cármen formada em engenharia civil sabendo da denúncia ficou responsável de ir até o local para estudar o caso.

Para o deputado Jurailton Santos (PRB-BA) nativo da ilha é uma vergonha as condições dos terminais e o alto custo das passagens. “Se chove não tem abrigo para proteção da água e quando tem sol a luta é encontrar uma sombra. É realmente muito difícil viver e fazer travessia Bom Despacho – Salvador e vice-versa.

 

O deputado Alex Lima (PSB-BA) se comprometeu em marcar audiência com o secretário de Infraestrutura. “Como aliado crítico do governador, vou pessoalmente buscar informações e juntamente com a população propor medidas para acabar com esse gargalo”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *