Tiago correia denuncia a falta de comprometimento do governo para o Ferry e trem do subúrbio

Desde que o ex-governador e atual senador Jacques Wagner (PT-BA) alimentou o sonho da população baiana de construir e entregar a ponte Salvador-Itaparica, o sistema Ferry-Boat tem sofrido baixas no número de barcos disponíveis para atender a população baiana, em especial os moradores das ilhas que precisam do sistema para vir a Salvador em busca de acompanhamento médico, trabalho, lazer e afins, além dos milhares de turistas que visitam a maior baía marítima brasileira.

Neste final de semana passageiros embarcados no Ferry-Boat Rio Paraguaçu ficaram em pânico devido ao mar agitado pelo mau tempo que atingiu a capital baiana. Segundo relatos que chegaram a nossa redação, muitas pessoas buscaram abrigo no espaço coberto para fugirem da chuva. As associações de Mobilidade Urbana e Deficientes Físicos de Bom Despacho há meses estão denunciando que o sistema tem sido sucateado pelo Governo da Bahia para justificar o sistema Ferry-Boat.

Em janeiro do ano corrente representantes das associações tentam marcar uma audiência pública na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) para apresentar aos deputados e representantes do governo os perigos que milhares de pessoas estão submetidas diariamente no Ferry-Boat.

Entre as demandas estão: a compra de barcos mais modernos, pois atualmente a frota conta com apenas cinco embarcações para atender toda população e turistas. Há pouco mais de um mês, o ferry-boat Agenor Gordilho foi afundado após 45 anos servindo à travessia Salvador-Itaparica. O barco estava parado desde 2017 porque não oferecia mais segurança aos passageiros, porém nenhum outro foi comprado pelo Governo da Bahia para substitui-lo sobrecarregando os demais barcos; além das gavetas que foram construídas de forma inadequada que o governador Rui Costa (PT-BA) quer entregar nos próximos meses. As associações alertam que a tragédia na região de Vera Cruz que deixou 19 mortos na Baía de Todos-os-Santos há dois anos pode se repetir em proporção maior caso nenhuma medida mais eficaz do Governo da Bahia seja adota.

O deputado estadual, Tiago Correia (PSDB-BA) criticou o sucateamento do sistema ferry-boat na tribuna da AL-BA. “O Governo da Bahia tem tratado o sistema ferry-boat com total descompromisso com o povo baiano porque não investe em novas embarcações. Diversas denúncias são feitas diariamente sobre o sucateamento, pois até episódio de óbito foi noticiado pela mídia, além de que muitas embarcações não conseguem desembarcar os passageiros por falta de espaço no atracadouro. Assim como no ferry-boat, os trens do subúrbio também estão passando pelo mesmo processo de sucateamento, recentemente um dos vagões pegou fogo durante uma viagem, causando transtornos e ferindo as pessoas. Governador é preciso ter compromisso com a população”, destacou.

Em resposta ao episódio deste domingo a Internacional Travessias informa que procede com a comercialização de bilhetes de embarque obedecendo ao limite máximo de passageiros autorizados a transporte nesta embarcação (FB Rio Paraguaçu). Em dias chuvosos os passageiros tendem a se acumular em locais pontuais na embarcação, pois evitam as áreas desprovidas de abrigo (Pois os ferries possuem locais abertos / permitidos pela Marinha), o que traz a impressão de que a embarcação está superlotada, afirma a internacional Travessia marítima.

Fonte Click Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *