Operação prende 12 pessoas por crime de pedofilia em Simões Filho, Salvador e outras 5 cidades

Operação Dirty Web prende 12 pessoas por crime de pedofilia em Simões Filho e outras 6 cidades. A “Operação Dirty Web” prendeu, em flagrante, 12 pessoas  nos municípios de Simões Filho, Salvador, Alagoinhas, Aratuípe, Baianópolis, Cruz das Almas e Feira de Santana. A operação é contra o crime de pedofilia na Bahia. Outros 19 mandados de busca e apreensão também são cumpridos na manhã desta quinta-feira (31/10) nesta mesmas cidades.

Computadores, tablets, aparelhos celulares, documentos e objetos usados para a prática de pedofilia foram apreendidos na “Operação Dirty Web”, voltada a reprimir delitos de armazenamento, troca, disponibilização, transmissão e comercialização de imagens e vídeos que contenham cenas de sexo explícito ou pornográficas envolvendo crianças e adolescentes.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados contra Criança e Adolescente da Capital, pela 2ª Vara Criminal de Alagoinhas, pelas Varas Criminais de Nazaré, Baianópolis e Cruz das Almas e pelas 1ª Varas Criminais de Simões Filho e Feira de Santana.

Realizada pelo Ministério Público do Estado da Bahia, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco), a operação cumpriu, ao todo, 31 mandados de busca e apreensão, além de prisões.

A investigação contou com o apoio técnico da Divisão de Capturas do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (DECADE/PCSP), da Coordenadoria de Segurança Institucional e Inteligência do Ministério Público do Estado da Bahia (CSI) e do Departamento de Polícia Técnica do Estado da Bahia (DPT).

Colaboraram, ainda, com a ação a Polícia Civil do Estado da Bahia, através do Departamento de Polícia do Interior (DEPIN), do Comando de Operações Especiais (COE), do Departamento de Polícia Metropolitano (DEPOM) e do Departamento de Crimes contra o Patrimônio (DCCP), além de diversos promotores de Justiça do Estado, que auxiliaram no cumprimento dos mandados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *